01 novembro 2016

Teosofia


Teosofia. Etimologicamente, vem do grego theosophia. Significa comunicação com Deus, conhecimento de Deus ou ciência das coisas divinas. Foi usada em diversos sentidos, tanto na cabala quanto no neoplatonismo. O mais comum é remontar ao panteísmo emanantista inspirado no budismo e no hinduísmo, pregado inicialmente pela teosofista russa Helena Petrovina Blavatsky (1831-1891); depois pela inglesa Annie Wood Besant (1847-1933).

A Sociedade Teosófica foi fundada por Helena Blavatsky e H. S. Olcoott em 1875. Ao longo do tempo, houve algumas dissidências, principalmente após a morte de Blavatsky. Em termos práticos, somente aos iniciados é facultado o conhecimento secreto. Acreditam na reencarnação e na lei do karma. Depois da morte física, o espírito passa pelo purgatório, onde sofre modificações que o fazem penetrar no Devakhan, uma espécie de paraíso. É do paraíso que se dá a reencarnação em um novo corpo.

O êxito de Blavatsky e, concomitantemente da Sociedade Teosófica, foi o de adaptar o seu ocultismo às necessidades dos seres humanos, pois o Iluminismo e a ciência tinham desviado as pessoas da religião e de Deus. A teosofia despertava a esperança num mundo melhor. Observe que os autores teosóficos,  além de aceitarem o conhecimento intuitivo (ou místico) de Deus, mas sem revelação, acreditavam também que todas as crenças têm um fundo comum, que se consubstancia na compaixão e na fraternidade universal.

De acordo com Alfredo Nieva, em sua Enciclopédia de Conhecimentos Esotéricos, "A teosofia não é nem uma seita, nem uma religião, nem uma filosofia, nem um partido, nem tem cor política determinada, senão um reflexo da Sabedoria Divina, da Sabedoria de Deus (que é o significado etimológico da palavra Teosofia e não a sabedoria dos deuses), se sobressai acima de todas as religiões, escolas, partidos, filosofias e ciências, para do ápice do discernimento sinalar os pontos de contato e coincidência e conciliar as discrepâncias entre as manifestações do pensamento humano, a fim de encontrar uma unidade na aparente diversidade".

A sociedade teosófica admite representantes de qualquer crença religiosa. O seu objetivo é enaltecer a verdade e combater a superstição, a perseguição, a falsa ciência, o fanatismo. Proclama que, por mais divergentes que possam ser as crenças, todas elas se assentam em uma única verdade, ou princípio fundamental, que é a Sabedoria Divina dos grandes instrutores do mundo, contida na Bíblia Cristã, nos Vedas, em Pitágoras, em Sócrates. 




Nenhum comentário: