02 julho 2008

Sobre o Pensamento Positivo

A propagação do pensamento positivo vem se acentuando nos últimos tempos. Os livros de auto-ajuda se multiplicam nas prateleiras das livrarias. Recentemente, a australiana Rhonda Byrne de 55 anos, com 50 anos, sem marido, as filhas crescidas e seu negócio (produzir séries para a TV australiana) afundado em dívidas, teve um insight ao ler, por acaso, o livro A Ciência de Enriquecer, publicado em 1910. A partir daí escreveu O Segredo, livro que virou filme e foi produzido em DVD.

A tese central de O Segredo é a lei de atração, em que o pensamento funciona como um verdadeiro ímã, atraindo para si tudo o que elabora. Basta pensar em algo que aquilo se expande. Por isso, é proibido pensar negativamente. Pense no ganho monetário, no êxito, na cura de uma doença, no perfeito relacionamento entre os seres humanos e tudo se consumará como um passe de mágica. Há o caso da mulher que tinha detectado um câncer no seio. Não lhe deu atenção, reagiu como se não tivesse o câncer. Resultado: o câncer foi curado.

A teoria do pensamento positivo usa princípios da ciência para lhe dar autoridade. Contudo, mudam a conceituação científica. Observe a palavra energia. Para a física, energia é a capacidade de um corpo executar um trabalho ou realizar um movimento. Em se tratando de auto-ajuda, é uma força que anima todas as coisas. Outro exemplo: o magnetismo. Para a física, é capacidade de alguns materiais se atraírem ou se repelirem. Para a auto-ajuda, a mente atua como um ímã, sendo capaz de atrair objetos e acontecimentos que estiverem na mesma sintonia.

A física e a neurociência vêem o assunto com desconfiança. Para esses cientistas, a influência do pensamento como energia, como uma espécie de campo que age a distância, ainda não foi comprovada cientificamente: há necessidade de muitos anos de observações e testes, para se chegar a uma conclusão. Concordam, contudo, com o estado de ânimo que pode influenciar o nosso organismo de muitas maneiras. Dizem: os hormônios associados ao estresse têm grande influência na consolidação da memória. Por mais que se pense positivamente, os níveis de colesterol no sangue não irão se modificar. Há necessidade de dietas e exercícios.

Será que o pensamento positivo é bom e o pensamento negativo é mau? Depende das circunstâncias. O pensamento positivo será bom quando, em vez de pensarmos na desgraça, pensamos no bom êxito. Isso ajudaria o nosso estado de ânimo, o nosso relacionamento. O pensamento negativo, por exemplo, é sumamente bom para a filosofia, pois exige um pensar robusto. Em profissões que envolvem previsão de riscos, a desconfiança com relação ao acontecimento futuro é sumamente benéfica. Exemplo: operadores da Bolsa de Valores.

Não só Ronda Byrne, como também outros escritores de auto-ajuda, ficaram ricos com a venda de seus livros. Para eles, o poder do pensamento positivo funcionou. E para nós outros que compramos as suas obras? Teremos o mesmo desfecho?

Fonte de Consulta

ABRIL. Super Interessante. São Paulo: Abril, agosto de 2007, edição 242, p. 55 a 63.

Nenhum comentário: