02 julho 2008

O Ser e a Metafísica

A filosofia é a área falante por natureza. É através dela que o homem aprende a pensar. Contudo, para pensar bem, terá de cavar muita terra, pois o verdadeiro conhecimento não se encontra na superfície, mas no fundo.

No questionamento do ser surge a metafísica. Mas o que se entende por metafísica. É simplesmente algo além da física, como parece indicar a etimologia da palavra? Não. De acordo com os filósofos da antiguidade, a metafísica diz respeito aos primeiros princípios, o arché, o primeiro motor. Lembremo-nos de que na antiguidade não se falava em metafísica. O termo surgiu na Idade Média para significar a "ciência que contém os primeiros princípios do conhecimento humano".

Na perspectiva histórica, Sócrates foi o primeiro filósofo a tratar das causas primeiras. Até a sua vinda, buscava-se o conhecimento fora do indivíduo; com ele, para dentro de si mesmo, como atesta a sua famosa frase: "conhece-te a ti mesmo". A contribuição de Sócrates, ao estudo da metafísica, deu-se em dois momentos: ironia e maiêutica. Na ironia buscava a apreensão do verdadeiro conhecimento contido nas palavras; na maiêutica, procurava produzir um novo conhecimento das palavras. No momento inicial, confundia; depois, dava à luz uma nova idéia.

Platão foi o segundo filósofo a dar a sua contribuição. Em seu mito da caverna elucida a questão. Para ele, a humanidade vive dentro de uma caverna, cuja simbologia é opinião, falso saber, aparência da realidade. Para penetrar na realidade das coisas, as pessoas precisam sair das sombras, e ir ao encontro da luz, entendida por ele como idéias. Assim, o sistema filosófico platônico consiste no discurso das idéias. Discurso que mostra as formas ou os aspectos em que o ser se revela. Sua filosofia tornou-se conhecida como a filosofia das idéias.

Aristóteles, o terceiro filósofo que contribuiu para a compreensão da metafísica, chamava-a de filosofia primeira: philosophia prôte (cf. Met., I, 2, 928a, 4). A substância constitui o conceito fundamental da metafísica aristotélica, por que diz como o ser aparece e consiste em si. A substancia denota uma forma de presença clara e distinta, independente no ser, dotada de força própria (dýnamis). A toda presença autônoma no ser e no agir, Aristóteles chamava de substancia (ousía prôte = presença em sentido próprio).

A questão do ser é a base da filosofia. Ele assume papel relevante na metafísica, pois o ser, em qualquer situação em que for colocado, será o ponto central e fundamental de toda a argumentação.

Fonte de Consulta

BUZZI, Arcângelo R. Introdução ao Pensar: O Ser, o Conhecimento, a Linguagem. 28. ed., Petrópolis, Vozes, 2001.

São Paulo, 17/06/02

Nenhum comentário: