27 junho 2008

Origem do Conceito de Filosofia

A origem do conceito de filosofia está na sua própria estrutura verbal, ou seja, na junção das palavras gregas philos e sophia, que significam "amor à sabedoria". Filósofo é, pois, o amante da sabedoria. Mas o que é a sabedoria? É um termo que significa erudição, saber, ciência, prudência, moderação, temperança, sensatez, enfim um grande conhecimento.

Na tradição mitológica, a sabedoria era um atributo dos deuses, que revelavam uma verdade apodíctica, evidente, não suscitando nem interrogações, nem dúvidas. A sabedoria era o dom de conhecer o desconhecido, o incompreensível e, principalmente, de prever o futuro, o destino. Os deuses, na hierarquia mitológica, renunciavam uma parcela de sua sabedoria em favor dos oráculos e de outros eleitos.

Enquanto a consciência do homem é dominada pela mitologia ele não interroga sobre o que é a sabedoria. Foi preciso que surgisse a Filosofia e, com ela, o questionamento do conhecimento aceito como evidente, a fim de que os mitos e as adivinhações cedessem lugar ao pensamento reflexivo. A partir daí, o simples "amor à sabedoria" vai ampliando-se com as contribuições dos vários filósofos, até chegarmos à complexidade da atualidade.

Transformar a opinião em conceito foi e será sempre o trabalho árduo dos amantes do saber. O homem é um fabricador de mitos: a percepção dos fatos fá-lo arquitetar os seus juízos de valor, sem muitas considerações. Mas se quisermos compreender com alguma profundidade as coisas que nos cercam, devemos esforçar-nos por descobrir as verdades que se escondem atrás do fato. 

O filósofo do século XX deve ter a coragem de penetrar no mundo dos conceitos, tendo em mente que não existe uma definição absoluta da filosofia, mas aproximações que cada filósofo na sua época consegue abarcar. Além disso, deve-se levar em conta que a filosofia refere-se muito mais a uma vivência plena do que às informações que se podem tirar dos livros.

Busquemos as origens da sabedoria filosófica. Não nos deixemos, porém, ser tragados pelos mitos e opiniões dos nossos companheiros de jornada.

Fonte de Consulta

OÏZERMAN, T. Problemas da História da Filosofia. Lisboa, Livros Horizontes, 1978.

São Paulo, 10/03/1997

Nenhum comentário: