29 junho 2008

Especulação Filosófica

Especulação do lat. speculatione significa investigação teórica, exploração minuciosa. A especulação filosófica assusta os leigos, que influenciados pela linguagem abstrusa de Kant, Hegel, Husserl, Whitehead etc., sentem-se temerosos de vivenciarem a argumentação filosófica. Pecham-se, muitas vezes, de orgulhosos por não saberem filosofia, esquecendo-se de que ao refletir sobre a nossa profissão ou sobre o nosso "que hacer", estamos filosofando.

Semântica, etimologia e linguagem são essenciais à articulação filosófica. A semântica trata do significado da palavra, enquanto a etimologia estuda suas origens próximas e remotas. Expressa-se bem quem conhece o verdadeiro significado das palavras. Nesse sentido, a busca em dicionários e enciclopédias muito contribui para uma melhor compreensão daquilo que queremos comunicar aos outros.

Denotação e conotação são as duas principais dimensões das sentenças e dos símbolos linguísticos. Denotação refere-se à extensão, ou seja, abrange todos os objetos a que determinado termo se aplica; conotação equivale à intensão, isto é, ao conjunto de propriedades ou atributos dos objetos a que determinado termo se aplica. A palavra "homem", por exemplo, denota todos os seres que são designados pelo referido termo. Mas a mesma expressão conota "animal racional", "bípede sem plumas" etc., incluindo todas as propriedades que distinguem o indivíduo e o tornam classificável como um ser humano.

A especulação filosófica, como já vimos, contém a reflexão, a semântica, a etimologia, a denotação, a conotação e outros. Desta forma, a Filosofia caracteriza-se como método e não como domínio autônomo do conhecimento. Eis porque a reflexão crítica sobre nossas idéias e ações acaba identificando-se com a análise dos princípios gerais do conhecimento.

A Filosofia, especulada pelo método científico, torna-se filosofia científica. Método é um conjunto de meios que permite alcançar um determinado fim. O método científico, por sua vez, é um conjunto de procedimentos que permite alcançar a verdade. Desta forma, a filosofia científica procura descobrir em que medida o espírito humano chega à verdade e evita o erro.

Partindo-se, assim, de uma base sólida e isenta de preconceitos, podemos construir eficazmente o nosso conhecimento filosófico. Perseverando nesse procedimento, podemos melhorar sensivelmente nossa maneira de pensar e atuar na sociedade.

Fonte de Consulta

CANNABRAVA, E. Elementos de Metodologia Filosófica. São Paulo, Editora Nacional, 1956.

São Paulo, 11/02/1996

Nenhum comentário: