27 junho 2008

Ciência e Filosofia

Ciência é o conjunto de conhecimentos organizados relativo a uma determinada matéria, comprovado empiricamente. O objetivo do cientista é adquirir o conhecimento exato do mundo e, para tanto, se vale da observação e da experimentação. Nesse sentido, insurge-se contra o saber comum e desconexo. Procura, sim, construir seus modelos, baseando-se na lógica e na racionalidade.

O conceito de Filosofia, por sua vez, sofreu muitas alterações ao longo do tempo. Do simples amor à sabedoria, transformou-se num saber racional e dialético. Atualmente, é uma ciência que estuda as leis mais gerais do ser, do pensamento, do conhecimento e da ação. O objetivo do filósofo é desenvolver o espírito crítico, ou seja, suplantar as concepções ingênuas e superficiais acerca do homem, da sociedade e do mundo que o rodeia.

As divergências entre ciência e filosofia estão relacionadas com a forma de se abordar o real. Na Antiguidade, a filosofia abrangia a totalidade do saber. A partir do séc. XVII, surgem as ciências particulares, delimitando um campo específico de pesquisa. À Física cabe investigar o movimento dos corpos; à Química, as transformações substanciais, à Biologia, a natureza dos seres vivos, e assim por diante. Desta maneira, a ciência fragmenta o real, ocupa-se do imediato e formula juízos de realidade. Por outro lado, a filosofia engloba o real, ocupa-se do mediato e formula juízos de valor.

A lógica, a racionalidade e a rigorosidade das hipóteses são os pontos de contato entre ciência e filosofia. Dado o caráter operatório da ciência, ela tende a formar um sistema sempre mais autônomo e autocontrolado. Ciência liga-se à experiência. A experiência científica é "uma intervenção de caráter sistemático no curso das coisas". O filósofo, ao interpretar a realidade, não pode excluir, em sua análise, a influência que as modernas técnicas exercem no relacionamento entre o indivíduo e o meio ambiente.

Os "juízos de valor" elaborados pelo pensamento filosófico é de grande valia. Eles nos sinalizam o fim proposto de cada ação. Enquanto a ciência, auxiliada pela técnica, produz máquina e equipamentos, a filosofia trata da finalidade do emprego deles na vida prática. É possível que uma nova invenção esteja destruindo a flora e poluindo os rios. Os filósofos desenvolverão argumentos, levando-se em conta os aspectos relevantes da evolução do ser.

Além da ciência e da filosofia, há a religião. Se pudéssemos juntá-las num feixe único, aproximar-nos-ia, cada vez mais, da verdade relativa de que somos capazes de absorver.

Fonte de Consulta

ARANHA, M. L. de A. e MARTINS, M. H. P. Filosofando: Introdução à Filosofia. São Paulo, Modena, 1986.
LADRIERE, J.. Filosofia e Práxis Científica. Rio de Janeiro, Francisco Alves, l978 (Coleção Episteme).

São Paulo, 08/02/1995

Nenhum comentário: