24 setembro 2006

Tao e o Vazio

Tao quer dizer caminho, natureza. Esta palavra foi tirada dos ensinamentos de Lao-Tse (que viveu na China provavelmente no séc. VI a.C.), a quem se atribuiu o Tao te Ching , isto é, o livro do caminho e da virtude. Em oposição ao caráter racionalista do ensinamento de Confúcio, Lao-Tse enveredou-se pelo ensinamento místico, religioso e contemplativo, em que a não-resistência assume importância capital. Presentemente, serve de estímulo aos líderes, tanto religiosos como políticos. 

A água, na filosofia taoísta, tem papel relevante. De acordo com Lao-Tse, a água é fluida, flexível e, por isso, adapta-se a qualquer situação, penetra nos poros e faz drenagem na terra. Ela se desloca para os lugares mais baixos, criando assim o símbolo da submissão. Nesse sentido, o homem do Tao deve ser humilde e ocupar o último lugar. Esta maneira de ver o mundo cria uma desordem no homem racional do ocidente, pois este quer, a todo o momento, aparecer nas páginas do jornal, mesmo que seja à custa do crime.

A filosofia taoísta ensina-nos muito sobre a transparência. Pergunta-se: que sensação teríamos se, ao levantarmos pela manhã, todos os que convivem conosco entrassem em contato direto com os nossos pensamentos mais íntimos, e descortinassem o nosso modo de agir? Se todos souberem o que todos pensam seríamos mais honestos para com os nossos semelhantes. Poderíamos facilmente parar de nos preocupar conosco mesmos, pois aceitaríamos naturalmente tanto o fracasso como o êxito. A nossa função seria apenas tomar consciência do que se nos apresenta aqui e agora.

Seguir a força do grupo é outra recomendação do Tao. Nada de querer que as coisas sucedam como desejamos; desejemo-las tais quais são. Para facilitar este trabalho, Lao-Tse recomenda: cortar a lenha na direção do veio, fluir com a correnteza do rio e içar velas ao sabor do vento. Quer dizer, não force para que as coisas aconteçam; espere o momento oportuno. O intrigante é que mesmo nada forçando, tudo se realiza. É daí que emerge a atividade fecunda de um grupo de trabalho, de um grupo de estudo, pois cada participante sente-se responsável pela realização geral.

O Tao prescreve a não formulação de projetos, de planos, nem mesmo da luta entre virtude e vício. Para o taoísmo, o que importa é a surpresa que a vida nos oferece a cada momento. O planejamento meticuloso de tudo o que formos fazer impede-nos de penetrar na essência do Tao. Deixando tudo por conta da natureza, da sabedoria divina, teríamos mais chance de obter o êxito, pois faríamos tudo dentro de um plano superior, que sabe melhor do que nós o que é importante para a nossa evolução espiritual. 

Tomemos consciência do nosso estado mental e emocional. Somente assim construiremos um futuro cheio de paz e harmonia.

Nenhum comentário: